sábado, 2 de agosto de 2008

História da UBT - UNIÃO BRASILEIRA DE TROVADORES

Dr. Miguel Perrone CioneCPERP - Casa do Poeta e do Escritor de Ribeirão Preto

A trova tem a sua história ligada a UBT - UNIÃO BRASILEIRA DE TROVADORES, entidade que congrega a quase totalidade dos trovadores ativistas. Foi fundada em 21 de agosto de 1966 no Rio de Janeiro, e instalada oficialmente em primeiro de março de 1967, em todo território nacional, tendo sede histórica e foro na cidade do Rio de Janeiro.

No entanto, o trabalho de divulgação dos trovadores brasileiros já vinha sendo realizado mesmo antes dessa época. O marco inicial do movimento poderá ser situado na publicação do livro Descantes editado por cinco estudantes do Recife, dentre os quais Ademar Tavares. Mas, só a partir de 1951, quando Luiz Otávio iniciou uma pesquisa entre os trovadores brasileiros, foi a trova ganhando terreno em jornais, livros e revistas.

Em 1956, Luiz Otávio, baseado em uma pesquisa publicou o livro Meus Irmãos os Trovadores, que obteve grande sucesso.

Hoje a UBT, através das suas seções e delegacias expandiu-se por todo território nacional.

Dados Importantes

- A UBT possui um emblema que tem por base uma rosa vermelha – símbolo do lirismo, e, quatro linhas douradas, que representam os quatro versos da trova.

- O patrono da UBT é o Santo Trovador, São Francisco de Assis, cuja oração é declamada durante os festejos.

- A UBT cultua a figura de três expoentes da trova:

Ademar Tavares – Rei dos Trovadores
Luiz Otávio – Príncipe dos Trovadores
Lilinha Fernandes – Rainha dos Trovadores


- A UBT foi considerada de Utilidade Pública através da Lei 1.783 de 3 de dezembro de 1968 (Estado da Guanabara)

- A UBT possui o seu hino – O Hino dos Trovadores, com letra e música de Luiz Otávio.
Miguel Perrone Cione, é membro da Academia Ribeirãopretana de Letras, membro fundador da Casa do Poeta e do Escritor e seu Presidente Honorário.

Trovas do Grupo Trovadoresco da Casa do Poeta e, de seus membros correspondentes:

Quando chega o meu cansaço
das lutas do dia-a-dia,
Se não ganho o teu abraço
Faço trovaterapia!...
Oefe Souza

No galho que se balança
eu vejo um pouco de mim,
na flor a minha esperança,
no espinho, mágoas sem fim.

Alméria Paiva Cione

Quando os talentos florescem,
para o amor... e para o bem...
são bênçãos dos céus que descem,
são graças de Deus que vêm.

Lourdes Aparecida Cione

Uma lágrima furtiva
Meus olhos sempre terá
Pela ausência sempre viva
De quem jamais voltará

Antônio Zanetti

Casamento é mesmo o fim
Diz ela no seu enfado
Quem suspirava por mim
Agora ronca ao meu lado

Tadeu Hagen

Amor sentimento nobre
Tem um efeito fecundo
Desperta o rico e o pobre
Para o melhor deste mundo

Sólon Borges dos Reis

A saudade é uma goteira
Que quando vem não se acalma
Pinga quase a noite inteira
Na solidão da minha alma

Miguel Cione

Maritaca tagarela
Quer ave mais Brasileira?
Fez até a roupa dela
Com as cores da bandeira

Miguel Cione

Nesta vida hostil, azeda
E desespero sem par
Rogo a Deus que nos conceda
A Coragem de sonhar

Miguel Russowsky

Pra ver o mundo de cima
Da memória não me sai,
Torre alguma se aproxima
Do cangote do meu pai

Premiada de Moacir Sacramento

Paralelos os caminhos
Da minha vida e da tua
Lado a lado mais sozinhos
Como dois lados da rua

Branca M de Oliveira

Deste amor que guardo atento
Dentro do peito secreto
É minha luz meu sustento
Meu agasalho meu teto

Elza Mora

2 comentários:

Sérgio Gibim Ortega disse...

Se ainda sou Delegado da UBT do em Votuporanga.
por volta de 1992 me correspondia com a UBT no Rio de Janeiro que nunca mais tive notícias. Também com a situação que a gente passa. Só sei que não pude contribuir mais e não recebi mais notícias. Gostaria de saber se represento Votuporanga ainda.
Abraço a todos aí
www.poetagibim.blogspot.com.br

O NOVO JORNAL DO POETA GIBIM disse...

Não tive nem uma resposta. Tá vendo gente! Os escritores nunca tem valores, a não ser quando paga a sua anuidade.